Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1 Mulher

até para nascer temos que dar a volta

1 Mulher

até para nascer temos que dar a volta

missão “quase” impossível

MI-imagem-destacada-1.jpg

créditos

como em tudo na Vida, há quem se sinta confortável com o fato de devermos estar mais isolados em virtude da situação pandémica que atravessamos, depois há os outros, onde me incluo, que gostam do convívio, do contato com as pessoas, de sair sair sair, e pelas razões óbvias estão mais limitados… isto para não falar de estabelecer novos relacionamentos, seja de que natureza for.

há quem, tendo ou não um relacionamento amoroso, arrisque, e depois há os mais cautelosos que pelo medo óbvio de contaminação se fecham cada vez mais, aumentando o isolamento.

até os relacionamentos, tiveram que se ajustar a esta nova realidade… se antes já era difícil encontrar pessoas disponíveis, capazes, hoje o desafio é hercúleo… vale a pena arriscar? eu Di acho que vale sempre a pena arriscar, em tudo na Vida, arriscar é o sal que nos move, com os devidos cuidados, e levando todas as campainhas na mala… os contextos em que as pessoas mais se encontravam, estão completamente limitados… deixou de haver o grupo do ginásio, o grupo do trabalho, o grupo das férias… o que me é dado a perceber, é que a grande maioria das pessoas ficou muitíssimo mais egoísta, e não falo somente nos relacionamentos amorosos, falo de todas as interações que temos com quem nos rodeia… em bom português e generalizando, claro, os novos relacionamentos não existem, são meros encontros, com o único objetivo das pessoas descomprimirem e se satisfazerem sexualmente (cada um sabe de si), nas amizades temos exatamente o mesmo, contatamos o outro, não porque temos saudade daquele amigo, ou porque queremos saber se está tudo bem com ele, fazemo-lo quando precisamos de alguma coisa e só… numa simples ida de carro para o trabalho, por exemplo, somos “cilindrados” por um conjunto de pessoas rudes, que ali descarregam toda a frustração… solução? não existe… o que existe é que “os outros” onde eu me incluo, têm que ter uma capacidade de encaixe, e uma paciência inacreditáveis para a estupidez generalizada, mas a paciência também se acaba.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.