Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1 Mulher

até para nascer temos que dar a volta

1 Mulher

até para nascer temos que dar a volta

programa de sábado - O feio

de Marius Von Mayenburg | encenação de Toni Cafiero

COMPANHIA DE TEATRO DE ALMADA

Estreado no Festival de Almada em 2017, O feio constituiu de imediato um êxito de crítica e público. Javier Villán, do El mundo, chamou-lhe “um magnífico exercício de beleza plástica e sensorial”. As consecutivas sessões esgotadas, na reposição do espectáculo, justificaram o regresso da história de Lette, um indivíduo que descobre, do dia para a noite, ser “incrivelmente feio”, mas para quem a emenda (no caso, a operação plástica) se revelará bem pior que o soneto. Mayenburg, recorrendo à acidez da comédia, traça-nos uma parábola moderna sobre o mundo quotidiano das aparências.

 

Marius von Mayenburg nasceu em Munique em 1972, tendo-se formado em Alemão Antigo. Em 1922 muda-se para Berlim, onde estuda dramaturgia entre 1994 e 1998. Em 1998 passou a integrar a direcção artística da Baracke, a sala experimental do Deutsches Theater de Berlim. A partir de 1999, juntamente com Thomas Ostermeier, muda-se para a Schaubühne am Lehniner Platz, onde permanece como dramaturgista residente.

 

Toni Cafiero formou-se na escola Jacques Lecoq, em Paris, e na Academia de Belas-Artes de Bolonha, onde cursou Cenografia. Como encenador trabalhou em Espanha, França, Áustria, Estados Unidos, Croácia, Argélia, Portugal, Turquia e, na área da formação, foi convidado pela RESAD de Madrid, pelo Instituto de Teatro de Barcelona, pelos Conservatórios de Nantes, Montpellier e de Sète, pela Escola Nacional de Chaillot, em Paris, e pela New York University.

 

créditos